Liderança Feminina

 

Olhando para 2019 e para todas as realizações da GPJ Latam nesse ano, não poderíamos ter mais orgulho da liderança local – fruto de esforços globais da Companhia para empoderar e colocar mulheres em cargos de liderança. Aproveitando essa iniciativa necessária e extremamente transformadora, entrevistamos Juliana Saab – General Manager da GPJ Latam e Tânia Pacheco – Account Director da IBM. Durante a conversa, falamos não apenas sobre o sucesso da Agência mas também sobre o impacto destas lideranças femininas em Latam.

Que desafios você superou como executiva e como a GPJ te ajudou a superá-los?

JULIANA – O principal desafio foi aceitar que conciliar casa, família e carreira, além de cuidar de si mesmo, é uma tarefa que requer sabedoria, inteligência emocional e uma enorme força de vontade. É uma questão de entender que não precisamos escolher, não é uma ou outra: podemos fazer as duas coisas.

Ser uma líder de sucesso exige muito tempo, dedicação e paciência. É importante entender que as pessoas ao seu redor são diferentes – assim como suas expectativas. Isso acontece tanto na vida pessoal quanto na profissional e confiar é a palavra-chave, uma vez que não somos nada sozinhos.

Então, quando percebi que as funções solicitadas eram as mesmas e eu só precisava adicionar mais partes interessadas, superei meu maior desafio pessoal.

Outro desafio é obter o melhor de sua equipe, identificar os melhores talentos de cada um e colocá-los para trabalhar juntos, completando e apoiando um ao outro independente de sexo, gênero ou qualquer outra característica. Não é fácil, mas geralmente oferece ótimos resultados com clientes, fornecedores e equipe satisfeitos.

A GPJ me proporcionou uma oportunidade de sucesso, me dando autonomia e uma plataforma para compartilhar conhecimentos e informações com o benefício de uma equipe de apoio e sênior.

TÂNIA – Gerenciar pessoas é sempre um desafio quando você tem um alto senso de justiça e tenta equilibrar as necessidades de cada pessoa.

Muitas vezes, parece que minha atitude positiva jovial é percebida como algo um pouco impróprio para uma pessoa em minha posição, pois acredito que mais se pode ser alcançado com um sorriso sincero e uma mão amiga, em vez de um comportamento rígido

No entanto, a GPJ está constantemente me apoiando, desenvolvendo pessoas, conectando-se com nossos pares globais e trazendo inovação e novas ideias. Isso mostra aos nossos clientes o quanto somos valiosos e que podemos ajudar a alcançar os resultados esperados e fortalecer nosso bom relacionamento.

Dado que a GPJ Brasil é liderada por mulheres, como você acha que isso beneficiou a Agência e os clientes?

JULIANA – Nossas mulheres são ouvintes atentas e altamente adaptáveis, que demonstram compaixão e flexibilidade. Isso é crucial para o momento da GPJ Brasil.

Eu acredito que cada pessoa tem suas próprias qualidades e fraquezas, não importa o gênero. Mas as mulheres geralmente são mais versáteis e acho que isso é extremamente importante, especialmente neste momento.

 Entendo que, como líder, não tenho que fazer o trabalho da equipe, mas preciso apoiá-los, priorizar suas demandas, compartilhar tarefas e manter um ambiente de trabalho leve e feliz – não importa se há tempestade ou sol. Assim como eu faço em minha própria casa e é assim que sou inspirada por tantas mulheres líderes: sinto que podemos lidar com tudo – mas faz parte precisar de ajuda algumas vezes.

TÂNIA – A mulher tende a ser mais flexível e se adaptar facilmente a cada tipo de empresa e seus papéis dentro dela. Como somos uma agência que trabalha com projetos diferentes, é bom que nossos clientes tenham uma mulher multitarefa liderando-os, o que parece trazer, na minha opinião, melhores resultados.

A GPJ é pioneira em colocar mulheres bem qualificadas, como vocês, em cargos de liderança. Vocês podem compartilhar como foi?

JULIANA – O modelo de trabalho da GPJ motiva e estimula a capacidade natural da mulher de ser flexível. Na GPJ, colaboramos com diversas regiões, fusos horários e culturas, permitindo nos sentir como parte de uma equipe maior.

TÂNIA – Na minha posição atual, trabalho principalmente com mulheres e todas são ótimas e bem reconhecidas em seus papéis. Para mim, desde que assumi meu papel de liderança, as coisas se mostraram desafiadoras, especificamente a transição da minha posição anterior para onde estou agora. Foi especialmente difícil, já que eu não apenas estava grávida de 4 meses mas também queria entregar novos resultados o mais rápido possível. Até agora, acredito que atingi muitos objetivos da perspectiva do cliente e da empresa, dos quais tenho muito orgulho.

Quem te inspirou e que conselho você dá para os líderes jr. que estão se esforçando para liderar equipes como você?

JULIANA – Pessoas perseverantes e éticas sempre me inspiraram, principalmente aquelas que, após más experiências, conseguem se adaptar, conciliando a dedicação ao trabalho e à família. Eu realmente admiro aqueles que usam más experiências como aprendizado. Acredito que toda pessoa de sucesso tem muitas histórias ruins que as ajudaram a estar onde estão agora – e têm orgulho em admitir isso.

TÂNIA – Sou inspirada por pessoas transformadoras, preocupadas com o futuro, conservando recursos naturais e interessadas em ajudar pessoas que vivem na miséria em países subdesenvolvidos por meio de iniciativas filantrópicas. Pessoas que querem fazer mudanças para melhor na sociedade em que vivemos.

Profissionalmente, sou inspirada por pessoas inteligentes, capazes de trazer outros pontos de vista, agregar valor ao solucionar problemas e ter novas ideias para melhorar processos e projetos.

Meu conselho para quem quer crescer é criar relacionamentos pessoais, não apenas interações digitais, e entregar um trabalho sem falhas. Fazendo isso, inevitavelmente o crescimento profissional será uma consequência.